Ervilhaca Peluda

Ervilhaca Peluda

Ervilhaca Peluda (Vicia villosa Roth)

A ervilhaca peluda (Vicia villosa Roth) é uma planta da família das Fabáceas, originária da Ásia Ocidental, bacia Mediterrânea e Europa. Possui grande utilidade na agricultura de clima temperado, sendo bem adaptada à região Centro-Sul de Mato Grosso do Sul e estados da Região Sul do Brasil, sendo utilizada como cobertura do solo com papel importante na rotação de culturas e estabelecimento do Plantio Direto.

Características Agronômicas

A ervilhaca peluda desenvolve-se em solos de baixa fertilidade e com problemas de acidez (baixo pH e presença de alumínio), produzindo grande quantidade de massa, que poderá ser empregada como forragem de inverno ou como adubação verde. Pode ainda, para essas finalidades, ser consorciada com aveia, centeio, triticale, ervilha forrageira, nabo forrageiro, etc. Pode aportar grandes quantidades de nitrogênio, o equivalente a 80 a 120 kg ha-1. A produção de matéria seca é de 3 a 7 ton ha-1 e o conteúdo de nitrogênio é estimado em 4%. Tem ciclo longo, florescendo entre os 140 e 160 dias após a semeadura. Apresenta um importante efeito no controle de invasoras e é facilmente manejada com aplicação de herbicidas.

 

Semeadura

Na região Centro-Sul Mato Grosso do Sul, devido ao clima mais seco e quente que a região sul do Brasil, recomenda-se a semeadura da Ervilhaca Peluda em solos de alta fertilidade e preferencialmente em plantio direto até meados de abril. Para a cobertura do solo, indica-se o espaçamento de 0,2 m a 0,4 m entre linhas e de 15 a 40 sementes por metro, consumindo entre 25 e 40 kg de sementes por hectare.

Aspectos importantes:
1.Ótima cobertura e proteção do solo, podendo ser usada na fruticultura;
2.Bom controle de invasoras;
3.Alta fixação de nitrogênio;
4.Fácil manejo para plantio direto;
5.Produção de sementes sem grandes dificuldades;
6.Possibilidade de ressemeadura natural;
7.Baixo potencial invasivo;
8.Boa alternativa para sistemas de produção integrados.